Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Cidadania e civismo

por antonio-jose-leitao-canotilho, em 31.08.19

Diariamente ouvimos grupos de pessoas e até a própria imprensa a discutir o tema de direitos, cidadania, a consciência e o papel do cidadão na sociedade,  a necessidade no presente momento em sermos unidos e caminhar na frente única de prosperidade de Portugal.

BA7F0587-4795-4045-8631-574A99348FAE.jpegA palavra cidadania hoje encontra-se presente em muitos discursos políticos, em vários eventos sociais, ocultando muitas vezes uma significativa distância entre a teoria e a realidade, atingindo esta por vezes pessoas mais sensíveis ou excluídas socialmente.

O direito à cidadania deveria a possibilidade de todos participarem no uso dos bens materiais e culturais duma determinada comunidade, criados pela sociedade em todas a sua dimensão.

Um exemplo do passado no civismo era quando todos se sentiam motivados a cantar o Hino Nacional e participar nas comemorações com dignidade patriótica.

Todavia, a decadência desta era tem-se vindo a denotar diariamente.

O aparecimento da actual sociedade, instável, inovadora e em constante mutação ultrapassa-se à memória; o futuro domina o passado e os modelos são postos à prova.

Esta sociedade turbulenta em que vivemos, cada vez mais afastada da estabilidade, com gerações em constante transformação, refém da ideologia da novidade, faz com que a memória vá perdendo o fio condutor mestre e básico .

O civismo acaba por entrar em transição e instabilidade. 

Como consequência, desta sociedade confusa em que vivemos, perde-se a civilidade e constantemente ataca-se o próximo com desrespeito, violências descabidas e inimagináveis, em nome da subsistência material.

 Falar a respeito da cidadania e do civismo implica primeiro em civilidade, e como não podemos viver sem um ideal para estabilizar esta sociedade pluralista na dignidade, torna-se importante a maturidade educacional. 

Com uma aprendizagem que favoreça o acesso e permanência de todos na escola sem qualquer tipo de politização envolvente, será possível conjugar as características de cada um na construção da cidadania. 

Não esquecer que o suporte material nessa formação e desenvolvimento do intelecto das nossas criança, é a família e o professor. 

A educação pelos pais e também na escola assume o lugar de destaque na conjugação dessas questões, sensibilizando em cada ser humano um projecto específico de vida para se desenvolver plenamente num verdadeiro cidadão, na realização de seus deveres, e atento aos seus direitos, o que lhe dará consequentemente valorização do seu bem estar e evolução do nível de felicidade.

Só a descoberta continuada da personalidade de cada um, das suas sensibilidades, característica e apetências, a partilha da virtudes e lacunas de cada um entre todos, poderá desenvolver a civilidade e trazer o civismo para a vida do cidadão.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:10



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D