Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O mundo que temos

por antonio-jose-leitao-canotilho, em 06.01.20

2176DEFD-8015-462F-89FB-DD31BEB11AC0.jpeg

Muitas das matrizes ideológicas da Sociedade do nosso Mundo estão tão confusas e por vezes caóticas.

O pensamento lógico das ideias subverte-se numa sorte de estranho confronto entre o que não deve ser por qualquer conceito que seja, entre o que pode ser e não deve ser, e entre o que deve ser e nunca será. 
Deixamos de ser criativos.
Andamos muitos atarefados, queremos tudo muito rápido e em cima da hora, e “é bom” que sejam outros a pensar pelos “que trabalham muito e vivem stressados”. 
As fontes noticiosas da TV e programas de lazer, enchem-nos as casas com um vazio de programas de televisão absurdos, música doente e descaracterizada, por vezes com textos que incitam a uma degradação intelectual, e a convidar por vezes à agressão, ou observando então o mais profundo dos analfabetismos.
Na informática jogos alienantes, viciantes e nada pedagógicos.
Falsas aparências que culminam na ridicularização do indivíduo que se deveria identificar pela sua realidade e tantas vezes que vende a sua vida em fotos.
Perda da capacidade em raciocinar, nasce a sociedade imune ao absurdo. 
Políticos vergonhosos e criminosos mantidos por uma democracia fictícia.
Verdadeiros palhaços a governar os países mais poderosos do mundo, destruindo-os ao mesmo tempo e a transformarem o património de pensamentos, batalha que não querem travar, perdida para todos e para sempre. 
Tanta gente corrompida sem qualquer vergonha na face.
Idiotas admirados pela sociedade da massificação, a vangloriar-se com automóveis de luxo e grandiosos sinais de riqueza.
Escrevo este artigo, e lá ao fundo, observo a minha televisão a contar histórias deste mundo governado pela irracionalidade...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:31


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.01.2020 às 11:58

Parabéns pela lucidez em ver o mundo fora da Caixa, estamos a ver um Manifesto Visionário (já tem uma pagina no Face). Creio que esta luta de imposições e padrões esta vinculado ao exercício diário de não nos deixarmos contaminar pelas novas ondas de comportamento mediático e idiotizante (TV, Radio,imprensa, a Cultura entraram em conflito) só existem em função da interdependência de captar recursos e verbas financeiras. São agentes mediativos que influenciam em todos os setores. E assim enterra-se as criatividades e possibilidades futuras, é como fluxo de comboio, a cada estação vão subindo gentio de alma criativa e desafiadora e inspiradora, outros descem criticando e soltando suas crenças padronizadas. E quando o comboio se desgoverna todos padecem. Mas neste filme terrestre em que somos coadjuvantes e atores, subimos a montanha para nos inspirarmos e irmos buscar a sabedoria da luz que vem em abundância nestes tempos de acordar, talvez estivéssemos dormindo em berços esplêndidos e não nos dávamos conta do movimento das mídias e culturas oficiais e não oficiais. As ondas do mar assim ensinam com os seus fluxo e refluxos a se prevenir e navegar bem instrumentalizado com conhecimento. O que nos guiará daqui para a frente é a luz que impulsiona para vibrações de elevação da consciência e correções, Jesus já o dizia e aplicou e demonstrou a abertura desta consciência através do Orai e Vigiai. Tantos Mestres de consciência elevada nos deixaram exemplos e exemplos escritos e praticas do Oriente ao Ocidente, sem exceção procuravam os caminhos da luz em todas as áreas do conhecimento. Não há mais tempo para questionamentos ou validações e historias ou abrimos consciências através da luz do conhecimentos da filha da Filosofia, da espiritualidade, da fraternidade civilizatória e cumprimos os decretos da igualdade ou as leis vigentes serão as trevas do passado revisitadas, com outros nomes em que, falsos sábios intelectuais ou profetas seguem oprimindo e manipulando meios egocêntricos. Vamos pegar o Comboio da Luz Dr. Antonio até a Montanha, depois a caminhada, será uma escalada ascendente, mesmo que cheguemos sem dentes, olharemos para baixo e veremos o fluxo dos rios até encontrar o Mar Salgado.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D